Ai-food

Categorias Uncategorised

Em 2018, o CEO de certo aplicativo de delivery disse: “nosso maior concorrente é o fogão”. O marketing dessa indústria insiste em dizer que “cozinhar é algo do passado, demodê”.

Pra que perder seu tempo com isso?

Eles dizem: “não se preocupe, cuidaremos do seu jantar”. Tudo muito prático e rápido para que possamos passar mais tempo na frente do sofá. Provavelmente vendo mais propaganda.

Esse discurso tem ganhado mais argumentos. As redes de entrega são os “novos parceiros dos pequenos negócios”, atuando na resistência por àqueles que atravessem esse momento difícil de pandemia.

Para que seu restaurante preferido continue existindo!

Oportunidades para entregadores!

Para saciar a sua fome!

Parceiro dos pequenos negócios? Será? No começo do ano, a BBC Brasil nos contou a história de como as empresas de pequeno porte podem quebrar por causa das promoções nonsense que tanto animam o consumidor com emails divertidos e descontos surreais.

E eles dizem: “nós protegemos nossos entregadores!” Não sou eu quem precisa dizer que não o fazem. Sei que pode soar como esperança de renda extra, no meio do caos, para que algumas famílias, mas esse cuidado todo, veiculado nas propaganda de TV e redes sociais oficiais e de influencers, simplesmente não existe.

Basta olhar alguns vídeos dos próprios entregadores para ver que “essa preocupação toda” é uma fábula planejada e bem contada.

Veja bem, pedir comida não é um problema. Mas não dá pra pedir com tanta frequência. E talvez o aumento no número de pedidos esconda uma tentativa de escapismo.

Pedimos comida como forma de lidar com outras necessidades que não estão sendo atendidas.

Pedimos comida para nos distrair momentaneamente do fato de que não podemos, mas queremos, sair.

Pedimos comida quando deveríamos tentar entender e lidar com nossos sentimentos.

Nossas emoções a flor da pele vão continuar existindo frente a um medo real e invisível. Do tamanho de um vírus.

E cozinhar… cozinhar pode ser uma atividade bem mais prazerosa, distração útil. Uma ferramenta aprendida e habilidade básica conquistada nesse momento confuso e que dura para toda vida.

Vamos combinar que a maioria do que a gente pede nesses apps não é lá muito saudável. O tempo menor na cozinha é inversamente proporcionar ao aumento das doenças crônicas não transmissíveis. Coincidência? Eu acho que não.

Fora toda a geração de lixo de embalagens, em plástico ou isopor, descartáveis e sacolas.

Mexer as panelas é um caminho para a sustentabilidade de relações, que são aquecidas por uma refeição caseira, do planeta, sistema alimentar e seres humanos mais saudáveis.

Cozinhar é sim muito 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *