Prezados

Categorias Uncategorised

Já estive em melhores condições. Era estimado na sociedade. Minha presença era requisitada. Bons tempos aqueles. Me sentia amado e acolhido. Era convidado para festas. Prestigiado.

Escrevo essa carta como um último ato de desespero: não desista de mim. Não me despreze. Não sei o mau que te fiz, mas não foi intencional. Virei persona non grata e nem ao menos tiveram o trabalho de me explicar o porquê. Lembro que me amava e éramos felizes juntos. Mas quando foi que isso aconteceu? Nosso amor se perdeu.

Não me abandone, eu te peço. Fiquemos em paz

Atenciosamente,

Carboidrato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *